A Simplicidade de Deus

“Nem as torrentes, das grandes águas conseguirão apagar esse amor.
Pois suas chamas são fogo ardente, mais do que a morte, é tão forte esse amor.”

Nicodemos Costa


Foi através dessa música que o Senhor selou em meu coração o compromisso de assumir para valer o meu chamado a servi-lo mesmo diante de tantas cruzes, dores e incertezas. Deus é muito simples! E nessa simplicidade que ele chega até nós e fala. Acreditem, irmãos: Deus fala! E muito.

Há vários anos me comprometi a escrever esse testemunho, acho que agora é a hora que estava preparada no céu.

Eu sempre vivi num ambiente de Igreja, com o ensinamentos da doutrina e valores cristãos. Foi assim que o Senhor quis que eu crescesse. Por volta dos meus dezessete anos, o Senhor começou a me chamar a dar um passo diferente. Sempre sentia com intensidade um chamado para dar-me mais ao Senhor. Não sabia o que era e não me encontrava profundamente em nada. Depois de alguns anos de busca através da convivência fraterna com comunidades novas, o Senhor começou a me formar e concretizar a sua obra na minha vocação pessoal.

Um certo dia, em oração, coloquei para o Senhor o que eu pensava da minha vocação, onde me encontrava nas comunidades e o que ainda ansiava. Na Páscoa de 2006 uma amiga me levou para a ceia pascal da Comunidade Obra de Maria na casa de missão do Recanto das Emas. Foi um momento de muita oração e dança mas, que me senti profundamente conectada com o Senhor como a muito tempo não me sentia. Que alegria e desejo de ser de Deus! Naquele dia disse para a amiga que me levou: o meu lugar é aqui!

Parece até ousadia ter dito isso naquele primeiro momento conhecendo tão pouco aquela comunidade, quem eram. Mas, o chamado do Senhor já era real. Eu simplesmente sabia através da alegria que exalava daquela maneira única de conviver e rezar.

Apesar disso, meu coração não estava pronto e eu tinha muito medo. Saí dali com o coração pegando fogo e fugindo do chamado do Senhor. Nos meses seguintes, eu literalmente corria, fugia da Obra de Maria.

Em janeiro de 2007 tive a graça de passar o Ano Novo na Canção Nova, lá o Senhor trabalhou muito o meu chamado e fiquei completamente remexida. Eu iria retornar para Brasília, no dia em que Pe. Léo faleceu. Mas, eu percebia um movimento de tantas pessoas indo para Cachoeira Paulista, ônibus lotados para estarem no velório, e acabei decidindo ficar também. Ao ir para a fila para passar pelo caixão quase desisti, pois, não sabia ao certo como me comportar, o que fazer. Eu só iria se tivesse algum sentido… Então, uma amiga me puxou e me colocou na fila. Fiquei pensando no que fazer, e logo me lembrei que Padre Léo tinha uma vida vivida na santidade e era o fundador da Comunidade Bethânia então, de vocação ele compreendia. Chegou minha vez! Coloquei minha mão no coração do padre, fechei meu olhos e pedi: Padre Léo, intercede pela minha vocação.

Algumas semanas depois, recebi um contato da responsável pela missão Brasília da Comunidade Obra de Maria. Conversando com ela ao telefone, sem saber de nada que eu havia pedido, ela disse que estava em Recife na casa de sua família e que seu esposo disse ter me reconhecido na TV Canção Nova quando eu estava  junto ao caixão do Pe. Léo.  Me perguntou se era eu mesma. Que arrepio eu senti! Era o Senhor agindo na sua simplicidade. Ali começava a história do meu SIM.

A história não terminou! A cada dia ainda construo a linda história da minha vocação, através do vento do Espírito Santo que me leva.

O dia mais feliz da minha história? 21 de março de 2010, quando me consagrei a Deus através da Comunidade Obra de Maria.

E você, qual é a sua história?

Tenho certeza que o Senhor te chama! Entregue-se nos braços Dele e arrisque viver a história da sua vocação. “Nem as torrentes, das grandes águas conseguirão apagar esse amor. Pois suas chamas são fogo ardente, mais do que a morte, é tão forte esse amor.”


Que Deus abençoe a sua vocação!

Estou orando por você!

Daniele Cadête

Consagrada Obra de Maria

Missão Brasília

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...