Quaresma: tempo de reflexão e conversão

“Aproximai-vos de Deus, e Ele se aproximará de vós.
Lavai as mãos, pecadores, e purificai os vossos corações, ó homens de dupla atitude.
Reconhecei a vossa miséria, afligi-vos e chorai.
Converta-se o vosso riso em pranto e a vossa alegria em tristeza.
Humilhai-vos na presença do Senhor, e Ele vos exaltará.” (Tg 4, 8-10)

Nesta quarta-feira de cinzas iniciamos na Igreja o tempo dedicado à oração, ao jejum e à penitência: um tempo de reflexão que nos leva à conversão. Pois a grande experiência que podemos fazer neste tempo que a Igreja nos oferece é a experiência de uma verdadeira conversão. “Mas como assim? – você deve estar se perguntando – “já sou convertido e sigo o Senhor piedosamente…”

Querido (a) irmão (ã,) nos enganamos ao pensar que a nossa conversão acontece uma única vez, em um momento especial de encontro com o Senhor. Ela se dá ao longo de nossa caminhada rumo ao céu, em diferentes momentos de nossa vida… assim como a natureza que vive diferentes estações todos os anos, a Igreja nos convida a viver diferentes estações em nossa vida espiritual a fim de mantermos sempre viva e firme a nossa fé.

Poderíamos dizer até que a Quaresma é o nosso outono espiritual… tempo de perder as folhas, de perder um pouco das cores para ficarmos apenas com o essencial. É por isso que neste tempo a Igreja se reveste de roxo, deixa de cantar o Glória nas celebrações litúrgicas e em todos os domingos nos convida a relembrarmos a história da nossa Salvação através das leituras bíblicas.

É também neste tempo que a Igreja nos convida a intensificarmos as nossas orações diárias, a buscarmos exercitar a nossa vontade, treinando a nossa temperança e perseverança através da penitência e do jejum. Além disso, o tempo da Quaresma nos convida a olharmos para o nosso próximo e para aqueles que não são tão próximos assim, estendendo a eles a nossa mão, através das práticas de caridade.

Mas todas estas práticas e estes símbolos próprios da Quaresma são os meios através dos quais a Igreja sabiamente nos leva a refletir sobre a nossa vida e a fazermos um verdadeiro e profundo exame de consciência para que ao fim deste tempo possamos subir verdadeiramente com o Senhor ao Calvário, crucificarmos com Ele nosso homem e mulher velhos e ressurgirmos com Ele no domingo de Páscoa melhores do que entramos na quaresma: mais convertidos, mais santos, mais firmes na fé que abraçamos!

Com o desejo de que você viva bem a sua Quaresma queremos pedir ao Espírito Santo que lhe conduza nestes próximos 40 dias a uma autêntica experiência de conversão, como nos exorta o apóstolo São Tiago: “Lavai as mãos, pecadores, e purificai os vossos corações…”

Deus abençoe!

rafaRafaela Rocha

Consagrada Obra de Maria

Missão Brasília

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...