Deus me ama como um Pai, Deus me ama como uma mãe

 

“Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse Eu não te esqueceria nunca.”

(Is 49, 15)

 

Há alguns dias nós, membros da missão Brasília estávamos em retiro fechado com o nosso querido padre Jorge Tadeu.

Ele nos conduziu a uma belíssima, profunda e exigente reflexão sobre a oração do Pai Nosso. Com certeza, depois deste retiro não rezaremos mais a oração que Jesus nos ensinou como antes.

Por questões de organização eu só consegui participar de fato das pregações  a partir da explicação do “santificado seja o vosso nome”. Quando cheguei na capela onde estávamos nos reunindo para ouvir o padre tive que pegar meu bebê no braço para acalma-lo e ali, naquele balancinho, naquele aconchego que vivia com ele tive uma das experiências mais lindas e profundas com o amor de Deus.

De repente em meu coração veio o sentimento de que aquele bebê éramos todos nós e o meu colo, o jeito como eu o carregava e o amor que sentia por ele eram, sem duvida, um lampejo do que Deus Pai continuamente faz conosco: Deus ouve nosso choro, nossas aflições, nos escuta, nos pega no colo e no balanço do Seu Amor vai nos acolhendo, consolando aconchegando, confortando.

Meu bebê dormiu, se entregou ao sono em meus braços e é assim que Deus faz conosco: Ele nos acolhe, nos embala e só pede de nós que nos entreguemos e descansemos em seus braços seguros e amorosos de Pai.

Sim, Deus é Pai! Sim, Deus é Amor!

Ao embalar meu bebê, senti-me embalada por Deus! Ao amar meu bebê, senti-me amada por Deus. Que forte e profunda a experiência com Deus Pai. Sublime experimentar este Amor, tocante perceber que Deus sofre conosco e sofre com nossas escolhas erradas, sofre todas as vezes que nos afastamos Dele. Incrível experimentar esse amor que não exige ser amado de volta, que nada de nós espera. Um Amor que liberta!

Quando enfim meu bebê dormiu, eu chorei! Quando enfim aquela oração terminou, eu chorei: sim, Deus me ama como um Pai, Deus me ama como uma mãe. Muito mais do que isso: Deus me ama como Deus!

Meus irmãos e minhas irmãs, rogo a Deus para que você também possa experimentar em sua vida esse Amor! Que Ele lhe alcance e lhe toque: com certeza você não será o mesmo, com certeza você não conseguirá ser o mesmo!

 

Que Maria, a mãe do Amor, rogue a Deus por nós!

 

Rafaela Fernandes

Consagrada Obra de Maria

Missão Brasília

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...