São Vicente de Paulo, uma voz de ontem para os dias de hoje!!

Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo e Sua Mãe Maria Santíssima.

 

Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: “Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome, e me destes de comer; estava com sede, e me destes de beber; eu era forasteiro, e me recebestes em sua casa; estava nu e me vestistes; doente e cuidastes de mim; na prisão, e fostes visitar-me“. ( Mt 25,34-36)

Meus irmãos, gostaria de partilhar um pouquinho com vocês sobre esse Santo tão amado de Nosso Senhor Jesus Cristo; São Vicente de Paulo, cujo o dia comemoramos hoje. Iniciei com esse trecho do Evangelho da nossa salvação, pois tenho para mim que todos seremos julgados a partir dessas palavras, e de ter deixado de cumpri-las em sua totalidade.

Meu amado São Vicente de Paulo, Patrono de todas as Obras de Caridade, viveu intensamente esse Evangelho, dando vida e sentido à cada palavra.

Vicente de Paulo nasceu na cidade de Pouy, na França, aos 24 de abril de 1581. Filho de pobres camponeses, manifestou o desejo e o gosto para o estudo. Entrou no seminário e foi ordenado padre ainda bem novo, com apenas dezenove anos de idade.

O início de sua vida sacerdotal foi marcada por muitas dificuldades e desacertos. Inicialmente estava muito preocupado em ajudar sua família e em conseguir certa estabilidade financeira. Diante de uma série de fracassos, foi amadurecendo e, sobretudo a partir de 1613, se lançou inteiramente ao serviço aos pobres. Em contato com os camponeses, conheceu o estado de abandono e miséria em que viviam as populações do campo. Percebeu que os pobres tinham necessidades urgentes e que, para ser fiel a Cristo, era preciso servi-los. Começou então a pregar missões entre os pobres e a fundar diversas organizações de caridade.

Depois de mais 400 anos de seu nascimento, São Vicente de Paulo continua vivo entre nós, falando-nos, exortando-nos, estimulando-nos e questionando-nos.

Maravilhoso em suas obras e realizações, fascinante em seus escritos e ensinamentos, atualíssimo em seu carisma e instituições.

Uma árvore boa só pode dar bons frutos…

Ele gostava de afirmar que não se devia, nunca, adiantar-se à Providência, nunca se apressar, a graça tem sua hora. Censurado por alguns de ser lento demais, medroso, mostrou-se inovador, destemido e persistente diante da descoberta dos apelos de Deus, da Igreja e dos pobres. Homem de oração, de recolhimento, mestre de oração, guia zeloso de seus discípulos, animador dos principiantes, mergulhado ao mesmo tempo, nos mais variados e estafantes empreendimentos.

O verdadeiro critério do amor, assim nos mostrou, é a ação.

A ação só é verdadeiramente válida quando feita por amor sobrenatural. Viveu pessoalmente e pregou aos seus a humildade mais exigente. Buscou sempre o último lugar.

São Vicente introduziu uma nova forma de vida religiosa. Reformou o clero, “depurou” o episcopado de interesses mundanos e políticos.

Todo o segredo desse maravilhoso equilíbrio se encontra em seu Cristocentrismo de inspiração evangélica. “Nada me agrada a não ser em Jesus Cristo”.

“Nosso Senhor Jesus Cristo é nosso Pai, nossa mãe, nosso tudo. Rogo a Nosso Senhor que Ele seja a vida de nossa vida e a única aspiração dos nossos corações.” Jesus é a suavidade eterna dos homens e dos anjos, e é por essa virtude que devemos agir para ir até Ele, conduzindo até Ele os outros. Jesus Cristo é a regra da missão”!

São Vicente de Paulo entendia que o pobre é a imagem de Cristo desfigurado, a quem devemos servir. E a Igreja deve estar a seu serviço. Por isso atuou na reforma da Igreja, colaborando muito com a reforma do clero, como já mencionei anteriormente.

Faleceu no dia 27 de setembro de 1660, foi beatificado em 1724 pelo Papa Bento XIII e canonizado em 1737.

“Voltemos nossa mente e nosso coração para São Vicente de Paulo, homem de ação e oração, de organização e de imaginação, de comando e de humildade, homem de ontem e de hoje. Que aquele camponês de Landes, convertido pela graça de Deus, em gênio da caridade, nos ajude a todos a pôr mais uma vez as mãos no arado – sem olhar para trás – para o único trabalho que importa, o anúncio da Boa Nova aos pobres…” (Santo João Paulo II).

Tentei colocar nessas palavras todo amor à Deus, aos pobres e à São Vicente de Paulo, “amigo dos pobres, amigo da gente, amigo de Deus”.

Se você se interessar mais por este tão grande Santo, procure os Vicentinos em sua paróquia, que Deus nos dê a graça de irmos encontrá-lo nos nossos irmãos os pobres e excluídos de nossa sociedade, os filhos preferidos de Nosso Senhor Jesus Cristo…”Pertencemos a Deus e não a nós; se Ele aumenta o nosso trabalho, aumentará também as nossas forças”.

São Vicente de Paulo, rogai por todos nós!

E viva a Jesus!!!

Cláudia Rêgo

Consagrada Comunidade Obra de Maria

Missão Brasília

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...