De que adianta ganhar o mundo inteiro e perder o céu?

Perder algo na vida não é nada agradável para ninguém. Talvez seja porque não estamos acostumados a perder ou não sabemos perder. Queremos sempre ganhar. Ganhar fama, dinheiro, sucesso, amigos, bem-estar e tantos outros desejos que sonhamos realizar na vida. Porém a palavra de Deus vem para nós hoje dizer: “Aquele que quiser salvar a sua vida, vai perdê-la, mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por minha causa irá recobrá-la” (Mt. 16-25). Esta palavra é muito dura. Será que estamos dispostos a sacrificar a nossa vida?

Seguir os desígnios de Deus exige mudança, sacrifício e renúncia. Muitas vezes para que a nossa vida de família, de casal ou de consagrados dê certo, precisamos abrir mão de muitas coisas. Tirar aquilo que está sobrando, abandonar o que está atrapalhando. Assumir nosso papel de pai, mãe, casal, consagrado. De que adianta ganhar a discussão e perder o amigo? De que adianta ter razão se o casamento está no chão? De que adianta ganhar fama e perder a família? E ainda, de que adianta ganhar o mundo inteiro e perder o céu? É melhor perder agora para depois ganhar.

Quando se fala em perder já se pensa em sofrimento, dor, inquietação, angústia…, mas, não significa simplesmente perder. É perder para depois ganhar. Deus é fiel, ele cumpre com as suas promessas. Ele tem para nós riquezas maravilhosas e tesouros escondidos que jamais poderíamos imaginar. Mas é preciso ter a coragem de perder e confiar. Eu te pergunto: O que você precisa perder hoje? O que está atrapalhando seu casamento, sua família, sua vida? Talvez sejam coisas boas, hábitos que gostamos, pessoas que amamos, atividades paroquianas ou até mesmo um trabalho lucrativo, mas que você percebe que não está dando certo, algo que está prejudicando a paz da sua casa, do seu trabalho, do seu coração. Pare um pouco e peça o Espírito Santo para te mostrar aquilo que precisa ser deixado hoje.

Tenho um exemplo em minha casa de uma pessoa que renunciou à sua vida para servir à sua família. Lembro quando minha mãe recebeu uma ótima proposta de emprego para trabalhar em uma faculdade. Teria um bom salário e um futuro pela frente, mas a faculdade funcionava à noite e naquela época minha irmã mais nova era uma adolescente que precisava de atenção. E minha mãe pensou, rezou e eu acredito que ela gostaria muito de ter aceito aquele convite, mas naquele momento ela sabia que a sua família corria riscos então ela disse não. Hoje posso dizer que minha mãe perdeu muitas coisas na vida, mas ganhou muito mais que poderia imaginar, ganhou uma família linda. Eu e meus irmãos somos frutos deste amor, carinho e dedicação. Obrigada minha mãe.

Queridos irmãos, não tenham medo de perder! O caminho com Cristo é assim, no início a porta é estreita, é difícil, mas à medida que se caminha a estrada se alarga e tudo se acalma porque Deus caminha conosco. E no final da caminhada, a recompensa, a alegria, a paz e o céu. “Se o grão de trigo, caído na terra não morre, ele continua só um grão de trigo, mas se morre, então produz muito fruto. ” (Jo 12-24)

Deus os abençoe e que o Espírito Santo os ilumine!

Lavínia Marçal

Fase do Discipulado da Comunidade Obra de Maria

Missão Brasília

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...