Mentes Revolucionárias

“Quer fazer algo para promover a paz mundial? Vá para casa e ame sua família!” (Santa Teresa de Calcutá)

Há algo de errado no mundo! Existe uma desordem, e isso é um fato reconhecido por qualquer cidadão. Podemos experimentar no nosso dia a dia que existe maldade, morte, pobreza, crimes, miséria, injustiça, bebedeiras, vícios, etc.

A verdade é essa: O mundo está mal! O mundo está doente! O mundo está marcado pelo pecado! A consequência dessa doença em que o mundo vive é a insatisfação daqueles que neste mundo habitam.

Diante dessa realidade de insatisfação, surge em nós a vontade de mudar o mundo. Porém, há duas (ou mais) formas de reagir e procurar esta mudança. Vamos nos restringir aqui às formas de pensar dos Cristãos Conservadores e dos Revolucionários (Marxistas, Socialistas, Comunistas, etc).

O revolucionário constata que o mundo está errado e por isso se vale da força e de um falso pensamento de que sabe como o mundo deveria ser, por isso, faz manifestações para que o “sistema opressor” mude e se adapte à forma que ele pensa. Ele manifesta para que a Igreja mude, o Governo mude, o vizinho mude e se encaixe no padrão por ele idealizado. O pensamento revolucionário, não mede consequências, ele pode matar, roubar, queimar, destruir… Não importa como seja. O revolucionário “diz-se” saber como o mundo deve ser, e se o mundo não sabe disso, pior pro mundo. Ele quer de qualquer forma mudar o exterior, e não obstante culpa a Deus pelos problemas que estão no mundo.

Contrário ao pensamento revolucionário está o pensamento do Cristão Conservador. O Cristão reage diante dessa maldade do mundo com uma coisa chamada “Conversão”. Quando um cristão vê que o mundo tem maldade, ele olha para si mesmo e constata: É verdade! Existe maldade, e eu estou nesta maldade, eu também peco, eu preciso mudar. Eu preciso me converter!

O dever do Cristão é procurar influenciar outras pessoas pelo modo de agir, pelo exemplo, pelo testemunho. Amando e sendo amado, mostrando com a vida a “revolução” que o mundo precisa. A mudança que o Cristão precisa promover é a mudança proposta por São Francisco de Assis: “Desejo viver a radicalidade do Evangelho!”.

Quando dizemos que o Cristão é conservador, é porque ele luta pela continuidade da valorização dos princípios e valores deixados por Jesus Cristo. Esse mundo foi idealizado e sonhado por Deus, portanto este mundo é bom. A maldade, injustiça, pobreza, miséria estão no mundo por causa do coração endurecido do homem e do seu pecado.

Todos nós queremos um mundo melhor, porém o Cristão deve iniciar a mudança em seu próprio coração.

O mundo será melhor quando obedecermos ao mandamento que nos foi proposto por Jesus Cristo: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”.

(Texto adaptado da pregação “Mentes revolucionárias”, de Pe. Paulo Ricardo, em www.padrepauloricardo.org)

Obra de Maria

André Borges

Consagrado Obra de Maria

Missão Brasília

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...