A mulher virtuosa: a beleza está em seu interior

 

“O Senhor aumentou-lhe a beleza, porque tudo aquilo procedia,

não de uma paixão má, mas de sua virtude: por isso

o Senhor deu-lhe uma tal formosura,

que apareceu aos olhos de todos

com um encanto incomparável!”

(Jd 10,4)

 

Caríssimos irmãos e irmãs, a paz que vem de Deus esteja em seus corações.

Quero continuar a nossa reflexão sobre a verdadeira beleza feminina (leia o texto anterior clicando Aqui), sobre a existência ou não da mulher virtuosa convidando-os a conhecer e/ou aprofundar seus conhecimentos acerca de uma mulher verdadeiramente virtuosa que nos é apresentada na Palavra de Deus.

Tenho verdadeira admiração e encanto por esta mulher e nela consigo vislumbrar muitas mulheres com quem convivi e convivo e que são igualmente virtuosas. Estou falando de Judite, viúva extremamente bela que ficara muito rica com a morte de seu marido. Conta a Palavra que após ter ficado viúva, Judite fazia sacrifícios e jejuns regularmente, era muito estimada por todos porque tinha um grande temor a Deus. (Jd 8, 1-8)

Viveu na cidade de Betúlia bem na época do reinado de Nabucodonosor, tirano que conquistou vários povos e baniu de toda a terra qualquer manifestação religiosa, pois somente ele deveria ser cultuado como um deus. Em seu exército havia um general igualmente tirano que tinha grande prazer em conquistar de forma cruel os povos, o general Holofernes.

Tendo ouvido Holofernes que em Betúlia havia um povo que se considerava intocável, pois seu Deus verdadeiramente os acompanhava e assistia, sentiu-se desafiado a provar que nenhum deus era maior, mais forte ou mais poderoso que o exército de Nabucodonosor, sob sua regência. Sua fama o precedia e assim que o Rei de Israel soube da investida de Holofernes contra o povo de Israel conclamou toda a população a clamarem a Deus por sua misericórdia, porém diante do cerco de Holofernes e vendo o povo a água e os víveres se esgotarem pediram ao Rei que estipulasse um prazo para que, não vindo Deus em auxílio de seu povo, eles se entregariam ao exército.

Judite que era temente a Deus, ao saber desta proposta ficou indignada com a falta de fé e confiança de seu povo e do Rei de Israel em Deus e solicitou a presença dos anciãos. Por suas palavras de exortação perceberam como estavam tentando a Deus com a falta de fé e confiança em Deus. (Jd 8, 13-29). Tendo ganhado o reconhecimento dos anciãos, do rei e do povo de Israel de que falava em nome de Deus, Judite pediu a todos que permanecessem em oração por ela, pois em seu coração havia um plano. Ela mesma entrou em oração e após ter-se prostrado diante de Deus (Jd 9), levantou-se, banhou-se, ornou-se como para uma festa e eis que neste momento o Senhor aumentou-lhe a beleza.

Meus irmãos e minhas irmãs, admiro-me todas as vezes que leio o livro de Judite, pois vejo nela uma mulher forte, corajosa, destemida. Ativa, sábia e, acima de tudo, temente a Deus. Enxergou o medo que se apoderou de seu povo e reconhecendo ela a beleza que o Senhor mesmo havia lhe dado utilizou-se disso para persuadir o inimigo e aniquilá-lo.

Imagino quão profunda e sincera foi sua oração a Deus e como era digno o seu desejo de não ver o seu Senhor zombado. Por isso, esvaziou-se de si mesma e o Senhor pode resplandecer nela a Sua beleza infinita, a Sua força e o Seu poder. Judite fascinou Holofernes que extasiado por sua beleza e interessado em aproveitar-se disso, desarmou-se e com um único golpe de sua própria espada foi ferido e perdeu, literalmente, a sua cabeça, pelas mãos de uma mulher!

Quantas de nós minhas irmãs, não somos chamadas diariamente a enfrentar o inimigo que cerca nossos lares, nossas famílias e que quer fazer perder as nossas almas?

Qual é o Holofernes que hoje você tem que degolar? É o vício do álcool ou do adultério? Da pornografia ou consumismo? É o desanimo e as desavenças? Quem está investindo contra a sua alma e o seu coração? Quem quer fazer perder a sua família?

Mas eu sei que muitas de nós tem se prostrado aos pés do Senhor e clamado e suplicado a intervenção divina em suas vidas. Quantas mulheres virtuosas que eu escuto e acompanho, enfrentam os Holofernes de hoje aos pés do Santíssimo Sacramento, no jejum, na oração, na penitência, na confissão.

Hoje, minhas irmãs e meus irmãos, chegando a última semana da quaresma, quero exortá-los, assim como Judite fez, a não desistir! Não podemos sucumbir e perder a fé, a confiança em Deus e Nele precisamos continuamente nos abandonarmos. Precisamos continuar a acreditar que mesmo o mais temível dos exércitos pode sucumbir diante de uma mulher virtuosa: que reza e põe em Deus toda a sua confiança. Que nós mulheres aprendamos com Judite que a verdadeira beleza, aquela que fascina os corações, acontece quando nos deixamos inundar pelo amor e pela misericórdia do Senhor. Que na fraqueza é que Deus pode resplandecer a Sua força.

 

Que Maria, a mulher temível como um exército em ordem de batalha, rogue a Deus por nós!

 

Rafaela Fernandes Rocha

Consagrada Obra de Maria

Missão Brasília

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...