Busque o silêncio exterior e interior!

“Se pudésseis guardar silêncio, tomar-vos-iam por sábios. (Jó 13, 5)”

 

A paz de Cristo irmãos e irmãs!

Estamos vivendo o tempo na Quaresma, onde somos convidados ao jejum e à oração. É tempo de reflexão, arrependimento, obras de misericórdia. É tempo de pedir perdão e de perdoar. Tempo de mergulhar profundamente em Deus.

Mas algo tem me incomodado e atrapalhado muito, tornando essa busca uma verdadeira guerra interior.

O barulho!

Ah como isso tem me atrapalhado! A começar em mim que adoro falar. Trabalho, casa, vida social, redes sociais, aparelhos eletrônicos e tudo mais. Haja barulho e distrações para nos tirar da presença de Deus!

Deus foi a um deserto físico e espiritual. Nós não estamos num deserto físico, mas precisamos busca-lo em nossa vida de oração. Rezar contemplando uma paisagem (pode ser a vista da sua janela), desligar aparelhos digitais, conversar menos, apenas o que é essencial. Precisamos selecionar melhor o que estamos escutando.

Aprendi num livro que a música e o silêncio são armas espirituais poderosas que Deus colocou em nosso favor, enquanto o ruído/barulho contraria tudo isso, sendo uma arma poderosa do inimigo contra nós.

O ruído irrita, causa desconforto, dor e medo. Estamos num mundo repleto de ruídos. Sons das mais variadas formas que se misturam e se repetem dia a dia; e o pior: achamos tudo isso normal.

Como você tem vivido o silêncio na sua vida? Como você tem buscado viver sua intimidade com Deus? Reflita e se preciso mude seus hábitos. Busque o silêncio exterior e interior! Santa Faustina nos ensina em seu diário:

“Do meu ponto de vista e experiência, a regra do silencio deveria estar em primeiro lugar. Deus não se comunica à alma tagarela que, como zangão na colmeia, zumbe muito, mas não fabrica mel. A alma tagarela é vazia interiormente. Não há nela nem virtudes sólidas, nem familiaridade com Deus. Não há nela condições para levar uma vida mais profunda, para a doce paz e silêncio, em que reside Deus. A alma que não saboreou a doçura do silencio interior é um espírito inquieto e perturba o silêncio dos outros. Vi muitas almas nos abismos do inferno, por não terem observado o silêncio. Elas mesmas me disseram isso, quando lhes perguntei qual tinha sido a causa da sua perdição. Eram almas de religiosas. Meu Deus, que grande dor, pois afinal, poderiam não apenas estar no céu, mas mesmo ser santas!” (Diário de Santa Faustina)

Que a busca pelo silêncio nos faça mais fortes, fiéis e dóceis a vontade de Deus!

Forte e fraterno abraço!

Daniela Palma 

Consagrada Obra de Maria

Missão Brasília

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...