Você julga ou ajuda?

julgarouamar

“Meus filhinhos,  não amemos com palavras nem com a língua, mas por atos e em verdade”

I João 3, 18.

A paz de Cristo irmãos e irmãs!

Esses dias, Deus tem me ensinado a ajudar e não a julgar. E isso da pior maneira, mas talvez da maneira mais eficaz, pois ao invés de receber ajuda tenho sido julgada pelas pessoas e como isso é ruim, doloroso.

Nesse mesmo instante em oração, Deus me mostrou quantas vezes julguei ao invés de ajudar. Muitas vezes caímos na soberba e prepotência de nos acharmos melhores que os outros, por isso julgamos. E, da mesma forma que o julgamento pode derrubar ainda mais alguém que já está mal, a ajuda por amor pode levantar alguém e lhe dar esperança de dias melhores, de mudança e isso é conversão. Podemos ser caminho de perdição (quando julgamos) ou de salvação (quando amamos).

Infelizmente nos cansamos uns dos outros. Cansamos porque não amamos o suficiente, cansamos de amar porque não vivemos o evangelho, mas falamos dele, sem que isso seja parte de nós. O evangelho para muitos é uma coisa a parte que, quando convém, cabe dizer versículos bíblicos. Usamos a bíblia como clichê, algo repetitivo, que já se desgastou, por isso quando utilizado não produz mais o efeito que deveria provocar. Tropeçamos em nós mesmos sem conseguir amadurecer a nossa fé. Infelizmente temos uma língua muito grande e um coração muito pequeno. Que triste é pensar que somos feitos a imagem e semelhança de Deus, mas nos parecemos com qualquer outra pessoa, menos com Ele.

E, então, qual o caminho para nossa conversão, para que ajudar seja o principal, ao invés de julgar? O amor e amar.

O amor nos leva a amar e amar nos leva a ajudar. Não implica simplesmente em suprir uma necessidade alheia, mas em sair de nós, do nosso conforto para ir ao encontro de outra necessidade que não a nossa. Isso muitas vezes é doloroso e muito desconfortável. Amar implica em dizer a verdade e ouvir a verdade. Amar implica em faltar para nós para que sobre para o outro. São palavras bonitas, mas precisam estar latentes em nossa razão e em nosso coração, porque amar, muitas vezes, dói e dói muito. E a única recompensa que teremos será o céu, que ainda não vemos, mas pela fé sabemos que é o melhor de Deus para nós.

Que o Espírito Santo de Deus nos ensine o amor para conseguirmos amar.

Deus os abençoe!

dani-palmaDani Palma

Consagrada Obra de Maria

Missão Brasília

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...