Em busca do verdadeiro amor

amor

“Deus criou o homem por amor, também o chamou para o amor,

vocação fundamental e inata de todo ser humano.

Pois o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus, que é Amor.”
(CIC, 1604)

 

Com a chegada do mês de Junho, chega para muitas pessoas, principalmente para nós nordestinos, a alegria de comemorar festas juninas em honra a santos grandiosos como Santo Antônio, São João Batista e São Pedro. É um mês especial também para os devotos do Sagrado Coração de Jesus e do imaculado Coração de Maria.

Mas as propagandas comerciais e as ofertas de promoções das lojas visam apenas uma única data comemorativa, você deve imaginar de qual data estou falando, não é?!
Pois é, para tantas outras pessoas o mês de Junho é apenas o mês dos namorados e isso é para alguns uma excelente oportunidade de demonstrar e experimentar afeto, mas também gera em outros inquietações, frustrações, angústias e até depressão!

Tais sentimentos vêm à tona por conta de uma cultura voltada para a busca da felicidade. Felicidade esta pautada meramente no prazer e no bem estar. Muitas vezes, nos é dito nas entrelinhas de propagandas, novelas, filmes, músicas e livros que esta felicidade só é alcançada quando temos alguém para chamar de “meu amor”.

Contudo, a Igreja nos ensina que o verdadeiro amor se baseia na doação de si mesmo e na complementaridade entre o masculino e o feminino. Amor que procura doar antes que receber. Mas como nos alerta Prof. Felipe Aquino em seus inúmeros livros sobre namoro e matrimônio, é impossível dar o que não se tem.

O que o mundo “esquece” de dizer aos solteiros é que antes de buscar a felicidade em alguém, devemos buscá-la em nós mesmos. Antes de ir ao encontro do outro para sermos felizes, temos que ser felizes “sozinhos”. Somente uma pessoa iluminada pela alegria e pela felicidade é capaz de atrair outros a si.

Mas como encontrar a felicidade sozinho se somos seres de relação?

Na verdade, amados irmãos e irmãs, a felicidade que buscamos e que é capaz de nos preencher a ponto de transbordar e iluminar a nossa vida é a felicidade que surge do nosso encontro pessoal com o Amor! Somente quando somos preenchidos verdadeiramente pela alegria e pela felicidade de amar o Amor é que somos capazes de nos relacionar sadiamente, livres, pelo menos em parte, de nossas carências e faltas. Somente quando sabemos quem é a Fonte de amor e felicidades somos capazes de compreender que o namorado/namorada, o noivo/noiva ou marido/esposa nunca serão capazes de nos satisfazer completamente, porque por sua condição, igual a nossa, são imperfeitos no amor. Assim nossos relacionamentos se tornam mais verdadeiros, mais leves e eficazes, ou seja, nos ajudam a crescer e nos encaminham para o céu.

Que neste mês de Junho, você que ainda está solteiro/solteira, possa viver a alegria do Amor e se ainda não tem ninguém para quem escrever um cartão ou dar um presente, que tal voltar-se para o Senhor? Ele também gosta de ser amado, embora não precise, e de receber o nosso carinho, afeto e devoção. Escreva um cartãozinho para Jesus, deixe em algum sacrário…será a sua oração de louvor e sua declaração de amor para este Amor que incessantemente arde por mim e por você! E se quiser fazer ainda mais porque não dar um presente ao Senhor? Um sacrifício pessoal, um perdão dado, um gesto de caridade, um jejum…estes são verdadeiros presentes que agradam o coração de Jesus.

Que Santo Antônio de Pádua, padroeiro do amor, rogue a Deus por nós!

rafaelaRafaela Rocha

Consagrada Obra de Maria

Missão Brasília

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...