A Misericórdia Divina na minha alma

Hoje a Igreja celebra Santa Faustina Kowalska, conhecida por nós como a apóstola da Misericórdia Divina. Desde sua infância distingui-se pela obediência, pela sensibilidade às misérias humanas, pela piedade e principalmente pelo amor à oração.

Nosso Senhor concedeu-lhe grandes graças: o dom da contemplação, o conhecimento do mistério da Misericórdia, as visões, as aspirações, os estigmas, o dom da profecia, dom de discernimento, e também o dom dos esponsais místicos. Muitas são as qualidades desta notável mística de nossa Igreja, mas queremos destacar neste artigo sua efetiva aspiração a uma união plena com Nosso Senhor Jesus Cristo e seu árduo empenho no projeto de salvação das almas.

Desde o início de sua caminhada vocacional ardia em seu coração o desejo de tornar-se Santa.  “Ó meu Jesus, Vós sabeis que desde os meus mais tenros anos eu desejava tornar-me uma grande santa, isto é, desejava amar-Vos com um amor tão grande com que até então nenhuma alma Vos tinha amado” (D. 1372).  Certa vez escreveu em seu diário o relato do sonho que teve com Santa Teresinha do Menino Jesus. Neste relato as duas dialogavam e então a irmã Faustina pergunta para Santa Teresinha: -“Eu irei para o céu?“, prontamente Santa Teresinha responde: – “A irmã irá para o céu.“, perguntou também: – “Serei Santa?“, respondeu: “A irmã será Santa.“, e perguntou ainda: – “Mas Teresinha, eu serei uma santa como você nos altares?“, por fim Santa Teresinha respondeu: – “Sim, você será uma Santa, mas é preciso confiar muito em Jesus!“.

Percebemos que nesta descrição é demonstrado o imenso desejo de seu coração, que era de tornar-se uma Santa, e hoje sabemos que seu desejo foi concedido por graça de Deus.

Prezado irmão, para que a graça de tornar-se Santa se realizasse na vida de irmã Faustina, foi preciso que ela se oferecesse a Deus pelos pecadores, principalmente pelos que tinham perdido a esperança na misericórdia. Nutriu uma fervorosa devoção à Eucaristia e à Nossa Senhora, amou imensamente a Igreja, trilhou o seu caminho de salvação carregando sua cruz, e conseguiu tudo isso com a força da oração.

Que hoje possamos refletir em nosso coração o desejo de também poder contemplar a face de Deus, e sigamos o conselho dado por Santa Faustina:

… para que o Espírito Divino possa agir na alma é preciso silêncio e recolhimento. É pela oração que a alma se arma para toda espécie de combate. Em qualquer estado em que se encontre, a alma deve rezar. – Tem  que rezar a alma pura e bela, porque de outra forma perderia sua beleza; deve rezar a alma que está buscando essa pureza, porque de outra forma não atingiria; deve rezar a alma recém-convertida, porque de outra forma cairia novamente; deve rezar a alma pecadora, atolada em pecados, para que possa levantar-se. E não existe uma só alma que não tenha a obrigação de rezar, porque toda a graça provém da oração.

Saiba a alma que, para rezar e perseverar na oração deve munir-se de paciência e vencer corajosamente as dificuldades interiores e exteriores.” (D. 146, 147)

Santa Faustina, rogai por nós!

André Borges

Fase do discipulado da Comunidade Obra de Maria

Missão Brasília

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...